Uma história de sucesso

A aspiração de construir em Lisboa um pavilhão expressamente destinado à apresentação regular da “Feira das Indústrias Portuguesas” nasceu do êxito dos primeiros certames efectuados em 1949-50 e 1951.O sucesso destas realizações teve uma consquência importante, com duas vertentes: por um lado tornou-se evidente que a continuidade do certame era fundamental para o relançamento da indústria portuguesa no pós-guerra; por outro que elas não poderiam continuar em Belém, pela degradação do espaço e era indispensável construir umas instalações funcionais e permanentes.

A construção foi assim iniciada em meados de Março de 1955.

O Edifício principal (actual Pavilhão do Rio) foi inaugurado em 26 de Maio de 1957, com o II Congresso da Indústria e dos Economistas Portugueses e com a Feira das Indústrias Portuguesas. Mais tarde foi classificado como “Património Arquitectonico de Lisboa”.

A Câmara Municipal de Lisboa assegurou a concessão do vasto terreno da Junqueira, com 35.000 m2 de superfície entre a Rua da Junqueira e a Avenida da Índia. O pavilhão e as obras anexas foram delineados em projecto elaborado pelos Arquitectos Francisco Keil do Amaral e Alberto Cruz, competindo a direcção e planeamento técnico da obra ao Engº Justino Cruz.

O Centro de Congressos de Lisboa (CCL) tem assim origem nos dois primeiros Auditórios da FIL (antigos Auditórios V e VI) com capacidade para 250 e 100 pessoas respectivamente e que se destinavam a acolher manifestações paralelas a feiras e exposições.

Nos anos de 1984 e 1985 são construídos os actuais pavilhões 4 e 5 com o objectivo de acolher exposições temáticas e aumentar a àrea exposicional da Feira Internacional de Lisboa (FIL).

Em 1989 é finalizado o Pavilhão Polivalente, posteriormente designado auditórios do Complexo das Feiras, Centro de Congressos da FIL e actualmente Centro de Congressos de Lisboa.

Esta infraestrutura que contava com 4 auditórios e 5 salas de reunião, com utilização conjugada com os restantes pavilhões da FIL, constituiu um factor decisivo ao crescimento sustentado do turismo de negócios em Lisboa e acolheu os maiores e mais prestigiados eventos internacionais que se realizaram em Portugal nas duas últimas décadas.

O crescimento de actividades do Centro de Congressos de Lisboa foi particularmente notório a partir de 1995, passando de 120 eventos acolhidos neste ano, com um total de 55.000 participantes, para 250 eventos em 1999 e 180.000 participantes, tendo sido uma alavanca fundamental para o posicionamento de Lisboa entre os primeiros destinos mundiais de Congressos e Reuniões Internacionais.

Com a saída da FIL para a nova infraestrutura do Parque das Nações em 1999, passou a ser possível de imediato aumentar a disponibilidade de instalações. O Centro de Congressos de Lisboa passou a contar com mais três pavilhões, correspondendo a um total de 10.000 m2 para acolher grandes eventos em instalações adequadas e dar sequência ao projecto de dotar a cidade de Lisboa com um grande e moderno Centro de Congressos, através da remodelação e ampliação das actuais instalações.

Marcos Históricos

  • 26 de Maio 1957 – Inauguração do Pavilhão Keil do Amaral
  • 26 de Maio 1957 – II Congresso da Indústria e dos Economistas Portugueses
  • 26 de Maio 1957 – Inauguração da Feira das Indústrias Portuguesas
  • 9 de Setembro 1989 – Inauguração Centro de Congressos da AIP
  • 24 de Outubro 2001 – Inauguração do Centro de Congressos de Lisboa (reformulado)

Faça parte desta história. Solicite-nos uma proposta